TIME CODE: Antes tarde do que nunca?

28 mar

Bom, antes de mais nada, a criação em si é uma viagem no tempo (para mim, no mau sentido), porque há influências de tudo quando é tempo, era e idade nessa coleção Time Code.

Será que era essa a ideia?
Eu costumo gostar mais das coleções de inverno do que das de verão, mas pessoalmente, me senti meio incomodada. Achei tudo meio misturado, esquizofrênico, uma coleção sem muita coesão ou sentido, parece mais um ajuntado para criar thendênssya ou vender um monte – oi, estou mais chata do que nunca? -, embora, pra variar, tenha me interessado por um ou outro modelo.
Em algum momento da história, a Amazonas virou Amazonista e só eu não vi. Ôquei, ôquei. Acho o estilo dela bem mais inverno, apesar de ter chegado na coleção de verão. Pra mim, já vimos que não serve.
Na Amazonista III (a anterior é a II) já veio um detalhe thendênssya: efeito metalizado e efeito craquelado. Uau, Melissa, as empresas de esmalte já fazem isso há alguns anos, mas UAU mesmo assim… ¬¬
Ai, sério que vai ter Ankle Boot Westwood de novo?
Me dá tristeza só de olhar…
Bom, Aranha Quadrada é clássico, né? E uma das referências de tempo na revista da Melissa são as AQs fabricadas por minuto. Então tá.
Eu andei meio de saco cheio da Melissa até meu aniversário. Assim, tinha visto alguma coisa aqui e ali dessa coleção, mas sem grandes interesses. Aí eu ganhei do meu irmão uma Amazonista esmalte-craquelado. Não, né? Quando fui trocar, conheci essa coisinha aqui – que não me lembra cadeiras de fios, para mim esse título pertence à Gold.
Enfim, eu troquei minha Amazonista esmalte por essa coisa linda, gostosa de usar, com salto de altura confortável e fecho de velcro. Estou in love, se eu não tivesse tantas Ashantis, certeza que teria mais Believings.
Outra Melissa-referência, essa Zig Zag. O que podemos fazer contra elas? Pior q nem posso mais sugerir de jogar as formas fora depois das Ultras… De qualquer forma, para mim, não rola porque sai do pé quando ando.
Teve alguma mudança da Croco Mary Jane da Amazonista para essa coleção ou foi só um caso de encalhe mesmo? Sim, eu quis, mas agora nem quero mais.
A Disco era um dos meus modelos favoritos e durante muitos anos sonhei com uma Disco vermelha. Mas depois a Melissa lançou três modelos que eu amo de paixão em vermelho lindo (Mary Jane, Ashia + Oz e Ashanti), e eu desisti do sonho da Disco vermelha. Tudo a ver com o tempo: timing imperfeito.
Para mim, a Donna se encaixa na mesma categoria da Wings: acho feia, pesada, parece um ferro de passar roupa, não gosto, não uso, não compraria nem daria de presente para ninguém.
I had a dream: pegaram a Juggler, tiraram os conezinhos, colocaram o lacinho e voilà, uma Melissa totalmente nova (oi?), a Dreaming! Lição no. 01: Laços não transformam fracassos em objetos do desejo na maior parte das vezes. Mas vai entender o coração do consumidor, né? Vai que convence e o molde não é perdido?
Tá, Oxford tá na moda. Tá, o arzinho vintage das cadeirinhas de palha são totalmente uma referência de tempo. Ops, criei uma Melissa nova (EnJOYing) cujo nome, se for uma referência direta, ganhou pontos comigo (a ideia do nome, não o modelo, pq eu nem sou fã de Oxfords).
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: