Arquivo | Teste RSS feed for this section

O TAL DO CLARISONIC

15 fev

Há alguns meses já vinha ouvindo falar do Clarisonic, mas sempre me convencia de que “não preciso dessas coisas, minha pele é boa, USD 149 é uma bica” e toda a série de desculpas que impede as pessoas normais de torrar tantos dólares em um aparelho que você nem sabe se vai funcionar tão bem, mas que te desperta uma cobiça absurda…

Daí que, no Black Friday, recebi uma newsletter e quando cliquei, era da Clarisonic (óbvio que só depois vi que não se tratava do site oficial da marca), que oferecia o Clarisonic Mia 2 por USD 122 já com o frete para o Brasil incluso. Pensei pouco – oferta do Black Friday expira e esgota rápido, né? – e acabei me jogando.

Quando recebi o e-mail de confirmação, me caguei toda: o site era totalmente bem feito e eu não tinha me ligado que não era o site oficial da Clarisonic, mas de um revendedor chinês. Na hora pensei: “perdi”, “vai vir uma falsificação barata da escova vagabunda da Sygma” e todos os medos possíveis. Teve uma hora que achei que não ia chegar. Mas enfim, chegou. COM A TAXAÇÃO, claro, comprado na China e mais de USD 100, só podia dar nisso. Deixei sofridos R$ 120 no Correio e trouxe o tal para o escritório.

clarisonic

Pelo menos a primeira surpresa foi boa, a caixa parecia original e veio tudo certinho. Se fosse falsificado, seria um falsificado bem feito, então estava bem feliz. Daí, chegando em casa, louca pra usar o brinquedinho, vi nas instruções que o aparelho precisava ficar carregando por 24 horas. Ok, ok, ficaria para o dia seguinte.

Li o manual de instruções (sempre leio) e já estava pronta para usar no dia seguinte. Cheguei em casa toda animada, passei o sabonetezinho que veio no kit e passei a escovinha no rosto, conforme instruções (20 segundos na testa, 20 no queixo e 10 em cada bochecha).

OH YEAH
Só de enxaguar o barato é mágico.
Primeiro porque a escovinha ficou meio encardidinha – e eu tinha passado o demaquilante no rosto direitinho, como todos os dias. Diz a lenda a bula do produto que ele remove seis vezes melhor a make do que um demaquilante comum.
Depois, a textura da pele que ficou outra, bem mais macia, mais lisinha.
Daí quando olhei no espelho, achei que o rosto realmente ficou mais luminoso.
Estou usando o bichinho há três semanas e vejo um resultado bem aceitável.
Sim, os cremes para o rosto são absorvidos com mais facilidade.
Passo um creminho para duas manchas que eu tenho no rosto e sinto que houve melhora clara desde o início da utilização do Clarisonic.
Tanto com o sabonete que veio com o aparelho como com o demaquilante Rinse Off Foaming Cleanser da Clinique e com o Liquid Facial Soap, também da Clinique (o 1 do sistema dos 3 passos), o resultado é bom. E finalmente com o Clarisonic, achei uma forma mais interessante de utilizar o demaquilante em espuma.

OH NO
Tenho uns poucos cravos no nariz e neles, não vi melhora. Dos 20 segundos no queixo, uso metade do tempo no nariz e em suas laterais. Tenho outros pequenos cravos na curvinha do lábio e lá também não vi muita diferença.|
Tampouco vi diferença em relação a rugas e linhas de expressão, talvez por fazer pouco tempo, talvez por eu não ter nada tão gritante nesses termos para fazer diferenças tão drástica em tão pouco tempo.

VI VANTAGEM?
Sim, a pele mais macia e luminosa TEM de significar alguma coisa. 😉

Anúncios

EU TESTEI: MANTEIGA HIDRATANTE CORPORAL EUDORA

29 nov

 

Conheci a Eudora em meados de setembro do ano passado, quando fui a um evento e as participantes foram presenteadas com kits dos produtos.

Como já tenho muita coisa, acabei dando de presente a maioria das coisas que veio na sacolinha (acho que fiquei só com um lápis). Com o tempo, acabei ganhando de presente mais produtinhos da marca, e quando minha manteiga da Granado acabou e eu não queria mais sentir aquele cheiro da linha Pink no meu corpo – sou dessas, meu enjôo para cheiros é seletivo, tem uns que nunca me enjoam, já outros…

Passeando pelo Shopping Eldorado, vi a loja da Eudora lá, dando sopa, e entrei…
Daí, precisando de uma manteiga, experimentei a de flor de cacau e damasco. Achei o perfume bom, o preço honesto (acho que foram uns R$ 25), gostei da textura dele na pele (falaremos sobre isso em breve) e levei para casa.
Bom, como cagada sorte pouca é bobagem, no mesmo dia ganhei uma manteiga corporal da linha Nativa Spa, também do Boticário. Daí vem o problema com a manteiga da Eudora:

– O perfume começou a me parecer tão enjoativo, comparando com o da Nativa Spa (o meu é o de Romã, delicinha!)
– O preço continua honesto, já que a manteiga hidratante da Nativa Spa custa R$ 39,99 (não se olha preço de presente, mas fui lá no site ver com finalidade informativa) e vem com 50 gramas a mais de creme.
– A textura dele. Pois é, a textura dele. Comparado com o outro, a textura dele é detestável! Parece oleoso, grudento, disgusting, e o cheiro misturado. A única vez que passei no corpo (mais especificamente nas partes mais ressecadas da pele), achei bem disgusting. Ainda aliado ao cheiro forte, deu vontade de arrancar a pele fora #dramamodeon Brincadeiras à parte, me deu dor de cabeça.

Hoje em dia ele mora na minha gaveta do trabalho, pq com o ar condicionado aqui, não tem joelho, cotovelo e pé que resistam a um ladrão de umidade desses. Daí como ele é grande, atrapalhado e feio (gente, vamos combinar. A embalagem é feia e tem cara de produto pobre), tenho um potinho fofo onde coloco de pouco em pouco, e vida que segue. Pois o fio não ficou DURO e SECO? Ódio.

Ou não.
Agora temos uma desculpa para jogar fora o trem sem maiores pesos na consciência.

TESTE DAS AMPOLAS: PANTENE X ELSÈVE

21 nov

Não sei se já contei aqui que meus cabelos não são dos mais fáceis… Oleoso nas raízes e seco nas pontas, ainda conta com um volume absurdo, nível Bozo de bicicletinha na ladeira.

Parte do problema é resolvido com o shampoo nosso de dia sim, dia não, o Tresemmé. Mas como sou otária curiosa, queria mais. Vi tanta gente falando bem das tais ampolinhas que resolvi testar as de duas marcas: PANTENE e ELSÈVE – L’Oreal.

(Momento confessionário: tem muita gente por aí falando bem, mas NUNCA meu cabelo se seu bem com nenhuma dessas linhas mais baratas da L’Oreal :-()

A primeira que testei foi a da Pantene, e achei o resultado bom. Cabelo macio, com cara de bem tratado e durabilidade OK, o suficiente para aguardar o tempo recomendado para repetição do uso. Essa eu usaria de novo.

Image
Ampola aprovada pelo meu cabelo chatinho exigente

Daí saí de férias, fui viajar e na volta, ló-ge-co que meu cabelo voltou uma droga.
Não levei meu shampoo, comprei um aleatório (mentira, foi um super cheiorisinho da Le Petit Marseillais) no supermercado e fui usando durante os dias (17 ao todo), e nesse meio tempo, nada de máscara hidratante nem ampolinhas. SOCORRO!

Como minha casa estava mega desabastecida, fui ao mercado, vi as tais ampolinhas da Elseve e como sou super influenciável (Grazi, sua linda de cabelo lindo, me liga) e super enganável pela publicidade, comprei. Usei duas, e as duas me entregaram resultados bem ruins: cabelo pesado, sem vida (sem vida e sem volume são duas coisas bem diferentes, quer dizer, o sem volume pode ter vida) e com cara de sujo.

ImageErrar uma vez não basta, tem que tirar a prova dos nove.

Por que usei duas?
Porque achei que podia ter feito algo de errado – costumo seguir direitinho instruções, mas podia ter feito algo errado, néam? Daí tentei de novo e realmente não rolou: cabelo pesado, sem vida e com cara de óleo puro AGAIN. Que é o mesmo efeito que eu tenho quando não lavo o cabelo… Quer dizer…

Parece que agora meu cabelo está voltando ao normal, mas para os meus abusos de verão, minha escolha vai ser a ampola da Pantene. A da L’Oreal, nunca mais. Até me dá um receiozinho de testar outras coisas da marca, porque nada dá certo comigo! Ganhei a loção fortificante Arginina e queria ver qual é a do Óleo Extraordinário, alguém me diz algo a respeito desses dois produtos?

TESTE DAS SOMBRAS: YES X EUDORA

3 set

Uma das minhas principais decisões de beauté do ano foi não gastar dinheiro com produtos que não vou usar. Não vejo mesmo sentido em investir quando tenho produtos para o resto da vida – sou feia, apegada e só jogo fora quando muda a cor, textura ou o cheiro. E os meus produtos-chave, quando acabam – vide corretivo, pó,  -, compro pra não dar errado: igualzinho, da mesma marca e cor.

Só que de vez em quando eu ganho uns produtinhos. Não que eu esteja no radar das marcas, mas porque trabalho em uma editora onde temos uma revista que recebe MUITOS produtos de beleza e que, ocasionalmente, são disponibilizados para as meninas de outras áreas/departamentos. Nunca consegui nada muito chique/wishlist, mas dá para experimentar alguns produtinhos que eu não compraria.

Daí que ontem, dia preguiçoso, resolvi arrumar meu gaveteirinho de make e me deparei com isso:

Sombras roxas Yes! (à esquerda) e Eudora

Daí que como não estava fazendo nada, passei uma em um olho e a outra, no outro, para ver o que acontecia. Sem utilizar primer, base ou vergonha na cara, apliquei com o pincel, duas vezes, a sombra da Yes! e já ficou bem pigmentada no olho. É mais ou menos o mesmo procedimento para a sombra da MAC. Já a da Eudora, passei umas 4 vezes e ainda assim a coisa ficou mais para rosadinho do que para roxo.

Daí fomos para o teste da durabilidade.
Nenhuma delas é a Urban Decay, mas a da Yes aguentou bastante, e de forma bem digna. Já a Eudora… Pfffffff, sumiu rapidinho das pálpebras. E não por causa da oleosidade (porque minha pele é tipo o Saara), mas porque sumiu mesmo.

As duas embalagens são grandinhas – é sombra pra vida inteira, minha gente -, sendo que a embalagem da Yes me agrada mais, com a carinha de MAC e espelhinho embutido na embalagem. Quanto a preços, as duas valem a pena: a sombra da Yes custa R$ 17,90 (vi hoje na loja online, tem algumas cores em promo por R$ 13,90 e as embalagens com tampa de rosca, por R$ 10,90) e a da Eudora, R$ 13,00 (também na loja virtual da marca).

VEREDITO: Como morro de preguiça de primer, se precisasse de alguma cor específica, iria na Yes. Para quem não é preguiçoso que nem eu, acho que a Eudora pode ser uma ótima opção se usado com primer.