Arquivo | SPFW RSS feed for this section

LOUNGE MELISSA NO SPFW

16 jun

Na sexta-feria passada, estive no São Paulo Fashion Week para visitar o lounge da Melissa. Como ganhei os convites na apresentação da Melissa Amazonista, convidei a Bia, minha prima e mega-apaixonada por Melissas, para conhecer a nova coleção.
Chegamos lá umas 18h e até que foi fácil parar. Aliás, preferimos ir na sexta e não no sábado por conta disso, pois para quem não é de São Paulo, o prédio da Bienal, onde se realiza o SPFW, fica no Parque do Ibirapuera, que é um dos endereços mais crowdeados em São Paulo aos fins de semana e estacionar fica un inferno!

Para entrar no lounge da Melissa, uma fila enorme!
E a gente via meninas (e meninas com as mães) entrando no lounge toda hora para ganhar as Ultras que estavam sendo sorteadas!
Pior que gente já com sacolinhas de Melissa querendo ganhar mais e mais pares.
Ô Zé Povinho!
Tentar até ganhar, eu até entendo… Mas gente, se ganhou uma, deixa as outras meninas tentarem também!

Para entrar no lounge, a gente passava por um corredorzinho e logo na entrada, via isso:

Entrada para o lounge

Essas cobrinhas descendo do teto são a iluminação das vitórias-régias estilizadas que serviam de mostruário para as Melissas.

Luminária fofa!

Melissas da nova coleção flutuando tranquilamente pelo Rio Amazonas (lalalalala)

Tinha até uma cachoeirinha!

E como a Carol havia antecipado na apresentação na Galeria Melissa, o teto realmente imitava a padronagem das Ultras que ganhamos no evento e que eram os prêmios dos sorteios que estavam rolando no lounge:
Pena que a Ultra não tem o detalhe dos tucanos e araras fofos…
Mas como fomos lá para nos familiarizar com os modelos e ver novas cores das eleitas das nossas wishlists, ei-las!


Em relação ao último SPFW (Melissa et Circenses), eu achei esse lounge mais bonito, embora permitisse menor acesso aos modelos.
Assim eu queria pegar na G. Pesce (caraca, esqueci o nome do cara de novo!), na Temptation da Vivienne, fotografar a Ultra do Jean-Paul Gaultier com mais detalhes, mas havia o Rio Amazonas me separando das belezuras (NOT)!
A cenografia do stand contava ainda com dois bancos em formato de cobra e as hostesses usavam a mesma roupitcha de índia (q eu fiz o favor de NÃO fotografar nem aqui nem na Galeria).
A minha nota negativa foi mesmo o barato das pessoas já terem ganhado suas Melissas nos sorteios, entrarem de novo na fila, ostensivamente com as sacolinhas dos brindes para tentar ganhar mais Melissas repetidas. Eu sei que é livre e é direito das pessoas pensarem em si mesmas, mas acho também que elas podiam ser mais solidárias e o povo do lounge eventualmente dar uma cortada tipos “já ganhou? Dá a chance para as outras tentarem ganhar também”. SIM, esse recado é para a menina que estava de All Star e para a mãe dela, que apesar de já estarem cada uma com suas sacolinhas de Melissa alegremente penduradas nos ombros, foram vistas entrando na fila mais duas ou três vezes (só as que eu reparei!) para ganhar mais Melissas.
A outra nota foi que de leve, vi uma moça querendo chegar perto dos monitores onde estavam acontecendo o joguinho pra ganhar a Melissa brinde, só que pra isso ela achou que as leis da física (dois corpos não ocupam o mesmo espaço) são para os fracos e tentou passar por onde não dava. Resultado: a bolsa dela parar na água. Sério, o trem afundou e quando ela percebeu e tirou, o bicho pingava.
No final, o lounge da Melissa estava cheio, sim. Mas não sei se os objetivos foram atingidos, porque não vi muita gente de Melissa no lounge. Sim, tinha muitas meninas de Melissa lá, mas a maioria não estava de Melissa nos pés. Se o objetivo era encher o lounge, deu certo, mas será que o resultado qualitativo foi bom assim? Eu sei que a Melissa tem mesmo que se preocupar com os formadores de opinião, povo da moda SPFW blablabla, etc e tal. Mas será que às vezes não é melhor privilegiar aquelas que são realmente são fãs, que compram e divulgam a marca, e investir mais (muito mais) em relacionamento, como parece ser a proposta do trabalho que a Carol Kubbe vem realizando?
Aliás, de novo fica o meu agradecimento para a Carol Kubbe.
Todo mundo sabe que eu não sou de ficar puxando saco da Melissa, inclusive eu sou extremamente crítica nesse sentido, mas a Carol realmente se tornou uma facilitadora de acesso das melisseiras junto à Melissa, dando respostas, apresentando resultados e quebrando altos galhos. Ninguém da Melissa me conhece, nem Paulo, nem Francine nem a moça morena q fez a apresentação na Galeria e eu esqueci o nome – e nem eu faço questão nenhuma, pra ser sincera – , mas a Carol sabe quem eu sou, me conhece pelo nome, conhece o Melissando e para mim, isso faz toda a diferença no quesito relacionamento.
Anúncios

SPFW – Tachas

2 fev

Esse ano, fui visitar o Lounge Melissa durante a SPFW para ver de perto os lançamentos da nova coleção…
Claro que eu tirei poucas fotos (o dia em q eu fui rolaria o lançamento do livro – que eu não fazia nem idéia) então o tempo estava curto e a luz não era das melhores, visto que teria balada por lá, com DJ e talz…

Como todo mundo já viu os modelos, cores, etc, acabei separando umas poucas coisas aqui:

TACHAS
Eu gosto do ar rocker que as tachas conferiram às Melissas, e acho que os modelos foram valorizados

Posso falar? ADORO esse laço de veludo!
O que me deixou decepcionada foi que não tinha todas as cores de todos os modelos no lounge… Da Disco, por exemplo, só tinha essa…
E vendo as cores de cartela, não achei grande coisa. Principalmente por não gostar de flocados AND porque a maioria das meninas que são loucas pela Disco quer em tons mais rosinha (fúcsia ou goiabinha – Gente, isso é especulação minha, é o que eu ouço/leio por aí!).
Fiquei até interessada na roxa, mas nem sei se vou usar tanto assim… E
Amei a volta da Ashanti para o inverno.
Quem diria que eu tinha dito que ankle boot era last season?
Cuspi total para cima!

I love rock’n’roll: tendência das passarelas internacionais para o Circo!
E, ao contrário da Disco, a Ashanti é rebitada pra valer!
O que deixa a dúvida:
SERÁ QUE OS REBITES DA DISCO NÃO VÃO CAIR?

Rebitada por dentro

Não deveria, mas eu tive meu momento hooligan e tentei arrancar os rebites da Disco.
E não, pelo menos do modelo em exposição, eles não saem com facilidade. Quer dizer, puxei um monte e nenhum deles saiu!